Faça das suas resoluções, futuras celebrações!

Auto-motivação, a par com novas resoluções, são temas recorrentes no início do Ano.

É nesta altura, em particular, que se fazem balanços relativos às conquistas e dificuldades do ano anterior e se definem novos objetivos e metas para o que se inicia. A constatação frequente, é que muito do projetado ficou por cumprir!

O conselho que urge, para contrariar esta evidência, é: trace o mapa do novo ano com a máxima ponderação, desenvolva habilidades e estratégias que o levarão ao sucesso, mantenha acesa a chama da motivação. Para o ajudar a completar com êxito este processo,  destacamos sete segredos*, sobre o estabelecimento de metas e mudança de comportamento, de Paul Marciano, reconhecido psicólogo na área comportamental.  Para que no final de 2017,  possa celebrar o cumprimento das suas resoluções!

  1. Defina claramente os seus objetivos. Muitas pessoas dentro do espírito de Ano Novo, proclamam em voz alta, “Este é o ano em que eu vou finalmente entrar em forma.” Mas o que isso significa? Pretende perder um certo número de quilos? Alcançar um objetivo percentual de gordura corporal? Correr oito quilómetros sem descanso? Dr. Marciano é um fã de metas que são específicas, mensuráveis, realizáveis, relevantes e com tempo-limite (SMART). O primeiro passo para a mudança de comportamento é entender claramente o que “ele” é.
  2. Acompanhe o seu progresso. “Se você pode medi-lo, pode mudá-lo” é um princípio fundamental da psicologia. Estas medições serão uma fonte de motivação pois permitem-lhe refletir sobre onde começou e onde está. Também irão ajudá-lo a identificar pontos de maior dificuldade ou de impasse, no seu progresso para que possa ajustar os seus esforços.
  3. Tenha paciência. Deve estabelecer metas realistas e perceber que o progresso nunca é linear. Algumas pessoas vão ver avanços rápidos, de início e mais tarde, ver baixar a sua resistência e os seus esforços. Para outros, o progresso inicial pode ser dolorosamente lento, mas  de repente alcançam avanços rápidos. Fazer mudanças duradouras leva tempo.
  4. Divulgue os seus objetivos junto de amigos e familiares. Embora possa ser embaraçoso anunciar a sua resolução específica “para o mundo”, o apoio social é fundamental. De facto, é preciso alguma coragem pessoal  para partilhar algo que pode realmente não cumprir, mas para aumentar drasticamente as suas hipóteses de sucesso vai querer apoio de quem estiver ao seu redor.
  5. Coloque-o na sua programação. Quantas vezes ouve as pessoas a dizerem que não conseguem “encontrar o tempo” para fazer algo? Todos nós somos senhores do nosso tempo e das opções tomadas para o dispender – sejam elas ir comer junk food  ou ir a uma aula de spin. Faça dos seus novos objetivos uma prioridade e programe-os no seu calendário. Se tem como objetivo ficar em forma, reserve tempo para  os seus exercícios. Se quiser livrar-se do que não usa, programe tempo para limpar o seu armário, no seu calendário. Se quiser economizar dinheiro, coloque uma revisão de orçamento, semanal , para as tardes de domingo. Pense nesses blocos de tempo como compromissos importantes – tal como uma consulta médica. Não programe automaticamente outra coisa sobre eles. O que está programado é para ser feito.
  6. Pare de pensar “tudo ou nada”. É melhor fazer algo do que nada. É apologista de “tudo ou nada” ? Pensa: “Bem, eu posso comer a sobremesa já que já comi as batatas fritas?” Ou então, “Eu furei a minha dieta na noite passada, então vou reiniciá-lo na próxima semana.” A diferença entre fazer algo em vez de nada, é enorme. Se não tem uma hora inteira de treino no ginásio, decida fazer o melhor treino de 20 minutos que pode. Se  tiver constipado ou com lesões menores, decida apenas caminhar um pouco. Se  tiver uma emergência financeira e não pode poupar o seu total de 10% este mês, basta poupar o que puder. A premissa é, qualquer esforço para atingir o seu objetivo é melhor do que nenhum esforço.
  7. Levante-se, quando tiver um deslize. Nenhum de nós é perfeito. Como Vince Lombardi disse: “O maior feito não é nunca ter caído, é voltar a erguer-se depois de cair.” Resiliência é a chave. Não transforme recaídas ou falhas temporárias em derrubes totais ou desculpas para desistir. Em vez disso, apenas reconheça o erro e recomece o caminho.

(*sumário por  Kevin Kruse, em www.forbes)

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *