Do Não Consigo Ao Sou Capaz , com nova edição em dezembro!

Alegria e boa disposição brindaram a segunda edição deste workshop promotor do auto-conhecimento e do crescimento interior. A presença masculina, em estreia, enriqueceu os momentos de partilha e de reflexão com uma perspectiva diferenciada sobre temas de urgência transversal.

Como balanço final desta ação, ficam os testemunhos de alguns participantes. Realce à valorização que deram  à metodologia que foi utilizada no aprofundamento dos conteúdos e à disponibilização de ferramentas úteis para o seu dia a dia.

“De uma forma muito prática, de partilha real de experiências e de uma total coordenação natural das formadoras, o Workshop é uma ação fortíssima para o auto-conhecimento, a necessidade de evolução e aprendizagem constante que deve estar sempre presente na nossa vida pessoal/ profissional. Recomendo !”

Teresa Sofia Neves

A generosidade na entrega e partilha de conteúdos permite momentos de auto reflexão com grande valor para o auto-conhecimento. O espírito da equipa de formadores facilita a aprendizagem (auto-consciência) de um modo assertivo. Trago comigo reflexões que se exprimem em simples frases mas de forte conteúdo que me guiarão em decisões futuras.”

Carlos Marques

“Este Workshop é fantástico e com conteúdos simples e muito úteis. A forma sincera e dedicada das formadoras promove a interação e a partilha. Depois deste workshop, somos mais ricos e mais capazes de qualquer coisa a que nos proponhamos. Vale mesmo a pena! Muito obrigada!”

Carmen Tavares

“Uma partilha com pessoas fantásticas. Mais um passo na sustentável leveza do meu ser. Obrigada.”

 Isabel Vilhena
     
    

Seja um líder para o sucesso das suas pessoas, durante todo o ano

Para quem é líder, o final do ano é uma oportunidade para comemorar e agradecer a todos na organização que, ao longo do ano, contribuíram para o sucesso da mesma.

No entanto,  de acordo com Ken Blanchard, especialista em gestão e co-autor do The New One Minute Manager® e Leading at a Higher Level, o incentivo e reconhecimento não devem ser um acontecimento anual,  mas antes uma atitude constante de um líder. Na sua opinião, os líderes mais eficazes concentram-se em atender às necessidades dos seus colaboradores durante todo o ano.

Blanchard acredita que as organizações correm melhor quando líderes em todos os níveis se vêem como servant leaders. Como ele explica, “os melhores líderes viram a pirâmide organizacional ao contrário, de modo a que fiquem eles no fundo da estrutura, servindo as pessoas que estão no topo. Os líderes fornecem o apoio, removem obstáculos e atuam como cheerleaders. Eles estão lá para servir as suas pessoas – para que estas possam servir melhor os seus clientes. ”

A explicação deste conceito de liderança ( servant leadership) parte do pressuposto de que há dois lados na gestão de um negócio.
O primeiro é estratégico – definir a visão e direção. e com o qual a maioria dos líderes está familiarizado e confortável (corresponde ao lado da liderança na servant leadership ). De seguida, o papel do líder é operacional – apoiar as pessoas que vão dar vida à estratégia. Isso significa reunir-se para explicar o plano estratégico, identificar obstáculos e reunir os recursos necessários para fazer o trabalho. Essa é a parte servil na servant leadership.

A boa notícia é que os líderes em todos os níveis podem servir os seus colaboradores diretos a um nível individual, de equipa ou de departamento. Blanchard explica o processo passo a passo:

Clarifique os objetivos – “Todo o bom desempenho começa com metas claras. Certifique-se de que os objetivos individuais, da equipa, do departamento e da organização são claros e escritos para que possam ser vistos, comunicados e referenciados com frequência. As metas são muitas vezes pouco claras, mal comunicadas, …ou nunca referidas até a revisão do desempenho. ”

Discuta competência e compromisso – “Os gestores devem sentar-se com as suas equipas para discutir o que é necessário para alcançar cada objetivo. Em Situational Leadership® II ensinamos que as pessoas abordam cada nova tarefa ou meta de um de quatro níveis de desenvolvimento: Enthusiastic Beginner, onde um indivíduo está animado mas inexperiente na tarefa; Disillusioned Learner, onde um indivíduo está desanimado; Capable but Cautious Performer , onde um indivíduo tem alguma experiência, mas ainda precisa de apoio ocasional; ou o Self-Reliant Achiever, onde um indivíduo tem um histórico de sucesso. É preciso tempo para fazer esse diagnóstico no início de uma tarefa ou ao definir uma meta, mas vai economizar tempo no longo prazo, evitando mal-entendidos, motivação e refazer trabalho”.

Combine o seu estilo de liderança – “Dependendo do nível de desenvolvimento de uma pessoa numa tarefa ou objetivo específico, o líder fornece um estilo de liderança correspondente – seja Diretivo, Coaching, Apoio ou Delegação. O objetivo é providenciar à pessoa a quantidade correta de orientação e apoio para fazer o trabalho, evitando supervisão excessiva ou sub-supervisão. Esta é a essência da servant leadership. O foco está em ajudar as suas pessoas a alcançar os seus objetivos. ”

Blanchard incentiva os líderes a praticar uma mentalidade servant leadership com os seus colaboradores todos os dias, não apenas no final do ano.

“O seu trabalho como líder é ajudar as suas pessoas a terem sucesso. Estabelecer metas claras com elas, diagnosticar o seu nível de desenvolvimento em cada objetivo e, em seguida, fornecer-lhes a direção e o apoio de que necessitam para atingir essas metas. É a melhor maneira de servir as suas pessoas – não só agora, mas durante todo o ano.”

fonte: www.kenblanchard.com (adaptado)