Do Não Consigo Ao Sou Capaz – um workshop de auto-descoberta!

Finda a  primeira edição, ficou a vontade de criar já, uma segunda!

Dia 15 de outubro, Do Não Consigo ao SOU CAPAZ  realizou-se em sala e …dentro de nós! E a magia aconteceu com muita partilha, descoberta e plena de momentos divertidos. Um dia cheio, onde o resultado só poderia ser de grande positivismo, auto-estima no topo e vontade de agarrar próximos desafios com confiança e resiliência e muita alegria!

Mas não foram só as participantes que sairam com trunfos para o futuro.

Para Paula, Ana e Bárbara que conduziram a sessão, com uma energia contagiante, os momentos foram de uma enorme recompensa. A entrega foi mútua e assim foi a  gratidão!

Os testemunhos das participantes comprovam os resultados  – A vontade para Fazer Acontecer está em cada um de nós – e  estimulam  a equipa a querer fazer mais , já de seguida!

A nova data , está aí, dia 12 novembro!

 

14642026_1075646512549973_521395184195077931_n     14657532_1075646509216640_3420841406769616833_n

“Esta foi uma formação que me trouxe uma grande descoberta! Nunca pensei conseguir fazer o que fiz aqui! Irei concerteza levar esta aprendizagem para a Vida! Muito grata a toda a equipa, super energizada!”

Carla Resende.

“Este dia foi um privilégio, estou muito grata por toda a riqueza transmitida. Cheguei ao fim bem-disposta, com muita energia e com a certeza que EU CONSIGO!”

De Clara Celestino

“Vim com uma expectativa muito alta. Saio daqui realizada. No início, a sensação é de que todos os exercícios já estavam planeados, independentemente do grupo de formandos, mas a grande surpresa foi perceber o ajustamento contínuo da sessão ao “espírito” do grupo de pessoas presentes e às necessidades que ao longo do dia vão apresentando. Regresso a casa hoje, com mais ferramentas para assumir as rédeas do meu destino, sem medo de arriscar e falhar, e com maior capacidade para me aceitar como sou, sem que as minhas limitações sejam um travão na minha Vida. Obrigada, Ana, Paula e Bárbara.”

De Paula Ferreira Borges

“Vou com uma maneira de pensar mais positiva e com algumas ferramentas que me vão ajudar a ultrapassar certas metas, no meu dia a dia.”

De Elsa Henriques

“Além de ter sido um dia muito bem passado, contribuiu para o meu desenvolvimento pessoal. Vai-me ser útil no dia a dia tanto a nível pessoal como profissional. A equipa é fantástica!”

De Joana Medina

“Esta ação permitiu-me olhar com novas perspetivas para o futuro. Aprendi ferramentas que me permitem, já hoje, deixar de me limitar tanto. De uma forma muito prática, com recurso a desafios variados, aprendem-se essas ferramentas e reencontramo-nos com o nosso eu interior.”

De Ana Pinto

Momento de auto-reflexão em partilha que me permitiu reunir ferramentas para crescer interiormente e enfrentar de forma positiva desafios futuros.”

De Leonor Santos

14708357_1075646439216647_4248832755363104584_n  14721478_1075647502549874_5934933215459274585_n

 

6 truques mentais para reformular uma atitude negativa

Concerteza que já ouviu uma voz dentro da sua cabeça, a dizer coisas tais como:
“Eu estraguei tudo de novo. Eu sou inútil.”
“Eu não consigo fazer isso. Eu nunca fui capaz de fazê-lo. Não vai resultar agora.”
“Eu não sou nada em comparação com aquelas pessoas.”

Falar para si próprio é um processo normal que acontece com a maioria das pessoas. No entanto, se o discurso é negativo e é usado para reforçar um pensamento ou ideia irracional, isso é um problema.

Cada vez que permitir que o diálogo interior solte essas frases, este torna-se mais forte, aumentando o seu nível de stress e limitando o seu pensamento e potencial.

Então, qual é a solução? Um pequeno truque de psicologia positiva chamado reestruturação.

Este processo é bastante simples, mas requer um compromisso real da sua parte.

6 truques mentais para reformular uma atitude negativa

1. Comece por conscientemente identificar o tipo de diálogo interno ou linguagem que usa diariamente. Todos nós temos um. Qual é o seu?
2. Tome nota, mesmo que seja mentalmente, das palavras negativas ou frases que usa. Por exemplo: Eu não posso; eu não sei como; isso é impossível; eu faço sempre isto errado, etc.
3. Agora, preste atenção aos momentos em que as usar novamente. O que as faz disparar ? São exigências no trabalho que se acumulam? São as coisas em casa que não estão famosas?
4. Note onde está, quem está consigo, que horas do dia são, e o que está sentindo naquele momento.
5. Quando se aperceber que está a dizer algo negativo mentalmente, pode parar essa corrente de pensamento, dizendo para si mesmo (ou na sua cabeça), “Pare!” Dizer isso em voz alta será mais poderoso, e vai torná-lo mais ciente de quantas vezes está a interromper pensamentos negativos e onde.
6. Agora, perscrute dentro de si mesmo e repense as suas suposições. Está a assumir algo como um evento negativo quando não é, necessariamente? Pare, repense, e veja se pode introduzir um substituto neutro ou positivo. Exemplo: Observe a diferença entre, dizer a si mesmo que não consegue lidar com algo e perguntar-se como vai lidar com alguma coisa.

O segundo pensamento vai levá-lo a sentir-se mais esperançoso e conduzir a mais criatividade, correto?

Ao reformular as expressões negativas , usando alguns dos exemplos acima, estará a desafiar as suas ideias irracionais, pensamentos e generalizações – e essas vozes que dizem que é um caso perdido, um cabeça dura, desastrado ou um falhado!

A beleza de reformular os pensamentos negativos

Fazendo os passos acima de forma consistente ao longo do tempo, também vai desenvolver otimismo e aumentar a sua auto-confiança.
Ambas as qualidades irão ainda, ajudá-lo a ter uma perceção de si próprio e do mundo, diferente.

Escolha as suas palavras cuidadosamente. Quando diz a si mesmo que algo é “difícil” ou “injusto”, provavelmente vai se tornar um fardo ter de lidar com isso. Diga antes, a si mesmo que é um “desafio” ou um “teste”.
Finalmente, não tome apenas a minha opinião como verdadeira! Aqui está uma grande citação de Albert Einstein sobre a reenquadramento:

“Problems cannot be solved by the same level of thinking that created them.”

Por:   MARCEL SCHWANTES, Principal and founder, Leadership From the Core, para www.inc.com